28 de mar de 2010

CRISE...

Na faculdade tive um professor de sociologia que quando entrava na sala “cabelos ficavam em pé” e o silencio se estabelecia tal era a “cisma” que se implantava na classe.
Lembro que no primeiro dia de aula, ele já entrou decretando:
-Isso aqui é uma faculdade, não sou de dar moleza pra aluno e se não estudar e se esforçar NÃO PASSA MESMO!
Nossa... o cara era um chato de galochas metido...kkkkk......
Eu tinha verdadeira ojeriza por ele.
Eu ficava pensando... como ele se acha....pensa que é o Ó do Borogodó.....
Mas aí o ano letivo foi acontecendo e foram acontecendo as aulas do Chatonildo Sabichão... e....MARAVILHA!
O sabichão era sabichão mesmo...
Continuava chato e distante como pessoa, mas quando abria a boca pra falar da matéria... nooosssa a coisa fluía....
Foi esse insuportável professor que pela primeira vez me fez refletir que os momentos de crise na vida da gente podem ser altamente positivos.
Numa das definições do Aurélio crise significa: estado de dúvidas e incertezas, fase difícil e grave na evolução das coisas, dos fatos, das idéias, momento perigoso ou decisivo.
A crise é inevitável na vida de todos nós e quando ela chega tudo fica de pernas pro ar e é quando nosso chão some debaixo dos nossos pés, nos falta o ar e a capacidade de raciocinar e é como se fossemos uma folha seca ao sabor dos ventos e das fortes tempestades instalados em nosso mundinho...
Quando a crise vem avassaladora em nossas vidas somos iguais na carência,no desestímulo, no desconforto e na incredulidade de que tudo vai mudar...
Nosso mundo cai,nossa vida some e não adiantam as palavras de consolo pois nesse momento somos tão coitadinhos e com pena de nós mesmos que nos recusamos a sair do buraco que à frente se abre GIGANTESCO...
É então quando temos dois caminhos a seguir: cair de vez no abismo,chafurdar no marasmo da mesmice e mediocridade, chorando leites derramados ou respirando fundo, estufando o peito e reagindo...
Tá certo que quase sempre reagir à crise implica em recomeçar...
Tudo bem que será preciso retornar na caminhada, repensar conceitos, rever posturas...
Certamente não será  fácil... causará mal estar,dúvidas e medos....mas olha só o lucro:cresceremos ao acreditar que podemos ser melhores e que o desenho da vida pode ser colorido ainda,basta vontade de acertar nas cores certas...
Sair da crise implicará em realizar um duro embate conosco mesmos, mas se formos fortes, destemidos e perseverantes sairemos dela fortalecidos, melhores e mais confiantes...que tal tentar?


E quanto ao professor de sociologia?
Ele continua lá naquela faculdade com seu jeitão de sempre: chato, insuportável e inacessível, mas um dos melhores que tive ao longo da jornada acadêmica...






27/03/2010

4 comentários:

jhamiltonbrito..blogspot.com disse...

Ah! então eu tive mais sorte do que vc. A melhor professora que tive na vida era também muito legal, educada,simpática, competente: Professora Doutora Maria Aparecida de Godoy Baracat, muiuto conhecida como Cidinha Baracat. Muitos anos depois, participei do livro NOS TRILHOS DO CENTENÁRIO como um dos crônistas e adivinhe de quem me tocou fazer uma das crônicas; D E L A. Quase me deu um treco de tanta emoção. Ah.mandei umas poesias com fundo musical para o seu email.Recebeu?

Maria Rosa Dias disse...

Olá, Marisa! Muito obrigada por me seguir aqui! ^^
Vim agradecê-la, dizer que seu blog está lindo e que adoraria que comentasse no meu, ele está atualizado! rs!

Beijos e tudo de bom á você!!

Ventura Picasso disse...

Saudações corintianas...desclassificado! É isso Marisa: Quem não é maiór tem que ser o melhor. Vc não falou se o 'chato' era baixinho, mas só faltava isso; né? Existem limites para tudo, em determinado momento da vida somos obrigados a reagir, caso contrário, o abismo nos espera.

ToninhoFornazare@hotmail.com disse...

Oi MARISA, não me surpreendo, com vc, o que tenho é muita admiração por vc, este seu comentario sobre crise ficou perfeito cada cada frase, cada colocação,eu li e comi todo este texto, KKKKK.........