13 de mai de 2012

Doce Guerreira

Queria ter lindas palavras para falar do meu amor.
Queria saber contar da minha admiração e carinho... Mas todos sabem... falar de pessoa tão especial não é fácil... Hoje é o dia que dizem ser o seu, mas para mim todos os dia lhe pertencem. Rainha, heroína, mulher maravilha... A tristeza de ter sido proibida dos estudos por seu pai você transformou em alegria quando nasci e prá sempre ficou atenta prá que EU não perdesse nem um dia sequer de instrução escolar. Prá que EU fosse alguém te vi anos a fio nas fazendas de algodão, amendoim, café... trabalhando...trabalhando...trabalhando... Quantas vezes peguei suas mãos tão duramente calejadas pelo áspero cabo da enxada a capinar o mato dos arrozais ou do pesado facão decepando a cana... Quando ficamos órfãs (eu de pai e você de amor), sei da sua luta pra me proteger e sustentar. Que vontade tinha de enxugar suas lágrimas de solidão,saudade e desalento...  Ao trazer boas notas da escola via sua vibração. Sei que por ser professora pra você sou a pessoa mais importante do bairro e isso te dá tremendo orgulho. Tão pobrezinha era, mas sempre ensinou-me riquezas preciosíssimas: não pegar o que não me pertencia, respeitar os mais velhos, não deixar que me desrespeitassem... Você é mãe dos tempos em que chinelada nos filhos não era crime e acho de verdade que foram elas que ajudaram a moldar em mim um caráter de mulher de bem. Te vi sair da labuta rural e iniciar nas casas das patroas seu ganha pão. Cozinheira de mão cheia,se fez respeitar um pouquinho como gente, pois as iguarias na mesa trazidas não era todo dia que se tinha... Já mocinha quantas e quantas vezes acompanhei seu cansaço diário ao chegar em casa e ainda bravamente cuidar da casa e família até altas horas da noite... Quando o amor me desapontou foi você quem por mim percebi chorando escondida e sentindo a mesma dor... Quantas vezes tive medo que a doença te levasse embora, mas você guerreira, nunca se deixou abater. Quando me disseram que era câncer sua nova doença,confesso que aterrorizada, subestimei sua força e medrei pensando que ia embora. Ah... mulher de fibra...recebeu o diagnóstico aterrador e ao chegar em casa olhou pra sua embasbacada filha e disse:nossaaa...vou fazer almoço,estou com fome... Foi duro saber da radioterapia a corroer suas entranhas e saber da cirurgia dessa terrível doença que a exatos dez anos num dia das Mães aconteceria. Foi doce te ver receber de Deus o presente:a cirurgia não mais aconteria ... Ele mudou sua história e contrariou todas as fatídicas sentenças médicas de que estavas condenada... Já se vão dez anos desses tristes dias ... Nunca te soube falar coisas bonitas mas procuro te cuidar e te amar com o amor que com você aprendi ... Hoje,dia das mães de novo sua saúde me preocupa... Com tristeza constato que não terei você prá sempre... Sei que a cada dia nossa separação fica mais próxima. Forte como você é ,fico pensando se não vou primeiro... Mas como me amas tanto certamente vai tomar a frente e dizer prá Deus:
 -Ela não...tem tanto ainda por viver...
 Voce é assim...
Nunca saberá precisar quanto tempo passou depois que me desmamou...
Serei sempre sua criança.
Mas não te recrimino pois você será sempre prá mim:MAMÃE..

 * Sou Marisa Mattos,professora,blogueira,pescadora que só conta a verdade...rs...feminina,tia corujíssima e apaixonada pela EDUCAÇÃO.

4 comentários:

m disse...

teste

Mensagens Abençoadoras disse...

OI marisa!
Que prazer vê-la em meu cantinho!
Gostei de tudo por aqui, mas me identifiquei principalmente com seu carinho por sua mamãe....
escrevi muitas coisas em meu blog sobre mamãe, se vc lesse ficaria muito feliz....
Voltarei outras vezes...
Com carinho
Marly

jhamiltonbrito.blogspot.com disse...

Você queria ter lindas palavras?
As teve.

Heitor Gomes disse...

Belo sentimento filial. Parabéns pelo texto. Muito expressivo.