27 de jul de 2011

Amy Winehouse





Não vou criticá-la.
Nem repetir o que dizem por ai..Que se matou... quem mandou não se cuidar...
Não quero recriminá-la, pois deveria ter sido referencia positiva pra milhares e milhares de jovens e não foi.
Tampouco vou chamá-la de bêbada ou drogada...
Não tecerei elogios à sua linda voz que fazia com que muitas negras americanas invejassem.
Não mencionarei as composições bem feitas que na sua maioria falavam de si mesma, nem de seus shows bem produzidos.
Não pretendo associar seu fracasso emocional com seu insucesso amoroso.
Não vou culpar seu homem de tê-la enveredado na obscuridade das drogas.
De forma alguma porei em duvida a atenção de seus pais delegando a eles seu histórico tão triste.
Não posso de forma alguma enumerar situações que justifiquem seu sucesso ou determinem seu triste fim.
É que na verdade não sei mesmo o que e como dizer:
Prefiro registrar aqui as palavras de fim de discurso de seu pai em seu velório:

“Boa noite, meu anjo, dorme bem. A mamã e o papá amam-te para sempre”,




* Sou Marisa Mattos,professora,atuando há 9 anos como Coordenadora Pedagógica na Rede Municipal de Ensino de Araçatuba.Blogueira,pescadora que só conta a verdade...rs...feminina,tia corujíssima e apaixonada pela EDUCAÇÃO.

2 comentários:

Néia Lambert disse...

Oi Marisa, vim conhecer seu blog, gostei muito daqui e te sigo.

Beijos

José Sousa disse...

Oi querida amiga Marisa de Matos!
Interessante a forma que falou da falecida! Mas tenho a minha posição e poderá ver o meu post neste blog "Queriaserselvagem".

Estive um tempo ausente por motivos de doença com minha mãe, mas tudo melhorou graças a Deus.

Se ainda não conheces o meu "Transpondo Barreiras", vai lá e me acompanha no filme da minha vida!
Um grande beijo e passa um bom Domingo